Master Class

MC 1 - Nature Based Solutions 
Casa do Infante

Paulo Ramísio - APESB/UMinho
Rafaela Matos - LNEC

As soluções baseadas na natureza (NBS) são inspiradas e apoiadas na natureza incluindo ecossistemas naturais ou modificados nos sistemas de drenagem, por forma a aumentar a disponibilidade da água, reduzir os riscos associados a cheias e inundações, e aumentar a resiliência dos sistemas às alterações climáticas.
Para além de contribuir para uma gestão sustentável da água em meio urbano, estes sistemas tem sido associados a co-bebefícios sociais, económicos e ambientais. Contribuem ainda para o cumprimentos dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030 da ONU.


MC 2 - Eficiência Energética dos Sistemas - Inscrições Fechadas
Pavilhão da Água
Peter Andreasen - DHI
Os sistemas com eficiência energética são caracterizados por vários fatores comuns e todos eles exigem controlo de processo, automação por sensores on-line, arejamento e bombagem eficientes em termos energéticos, bem como uso de biogás. Nesta Masterclass serão abordados os processos necessários para obter sistemas eficientes em energia, baseados em casos de estudos de mais de 200 revisões de ETARs, na Dinamarca, EUA e Portugal.
Serão discutidas as seguintes questões: As ETARs podem reduzir os custos de arejamento em 50%? Os sistemas de energia eficientes entrarão em conflito com a qualidade do efluente e a carga ambiental? Qual é o impacto na alterações climáticas quando a emissão de CO2 é reduzida? O que posso fazer para começar a economizar dinheiro?


MC 3 - Food Waste Management - Inscrições Fechadas

Escola Superior de Biotecnologia - Universidade Católica - Porto
Toine Timmermans - Wageningen University 
Susana Freitas - Lipor
A produção de alimentos enfrenta múltiplos fatores limitativos sendo a escassez de recursos-chave como o solo, a água e a energia, um dos principais fatores, bem como a consciencialização da população mundial para o problema. No entanto, soluções criativas e inovadoras têm surgido. Nesta Masterclass pretendemos mostrar soluções para alguns dos problemas que o desperdício de alimentos nos apresenta. Entre os temas que serão abordados incluem-se as tendências alimentares e agrícolas, a oferta alimentar nas megacidades, a redução das perdas e do desperdício alimentar, o aproveitamento integral dos alimentados, a insuficiência e insegurança alimentar e a estatística relacionada com a produção tanto do alimento como do seu desperdício!


MC 4 - Urban Cleaning Challenges -

Sala Almeida Garrett - Palácio de Cristal - Porto 
Eamonn Bates - Clean Europe Network´s Secretary General
A deposição de resíduos, quer nas cidades, quer nos rios e mares, tem um impacto prejudicial para o ambiente, para o bem-estar dos cidadãos e para a economia, constituindo os custos associados à limpeza urbana um encargo económico relevante para a sociedade. A crescente mobilidade, o impacto do turismo, associados ao estilo de vida atual, aumenta significativamente o risco dos cidadãos, de forma deliberada, negligente ou acidental, depositarem os resíduos no meio natural e no meio marinho.

Visitas Técnicas

VT1 - ...da Ribeira até à Foz... - ESGOTADO
Inspirado na famosa canção de Rui Veloso sobre a cidade do Porto, esta visita percorre diferentes etapas da do ciclo urbano da água, que abrange as seguintes áreas: abastecimento de água, drenagem e tratamento de águas residuais, drenagem de água pluviais, gestão das linhas de água urbanas e das praias sobre a linha de costa, educação ambiental e participação pública.
A visita começa na margem esquerda do Rio Douro, na Estação de Tratamento de Água de Lever (uma das mais modernas na Europa), e onde são realizados projetos de investigação e desenvolvimento no domínio das tecnologias de tratamento da água. Segue-se o maior reservatório do Sistema em baixa da cidade do Porto (Reservatório e Estação Elevatória de Nova Sintra), construído em 1929, com uma capacidade total de 45.000 metros cúbicos.
Um Ejetor Shone do Ouro (contruído em 1903) e a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) do Freixo (com tratamento terciário, cobertura vegetal e uma perfeita integração na malha urbana) serão visitados por se assumirem como infraestruturas estratégicas do sistema de drenagem e tratamento de águas residuais da cidade. 
A visita termina nos 4 km de linha de costa onde é possível vislumbrar as quatro zonas balneares (munidas de oito bandeiras azuis), também resultado das obras de reabilitação das ribeiras urbanas. Estas praias atraem banhistas e visitantes de todo o município, sendo uma grande atração turística da cidade.
Localização: Grande Porto, Duração: 4 horas


VT2 – ... e de nós tudo resta um pouco...  - ESGOTADO      
Inspirado na famosa canção “resíduo” de Carlos Drummond de Andrade, esta visita percorre diferentes momentos da gestão integrada de resíduos no grande Porto. Na Visita ao Parque Aventura será visto como “…de um aterro de resíduos se fez um Parque Urbano…” seguido do Circuito da Reciclagem onde “…um resíduo é um recurso…”. Será ainda visitado o Circuito da Compostagem e Horta da Formiga, Centro de Compostagem Caseira, onde “…se devolve à terra o que a terra nos dá…”. A visita termina no Circuito da Valorização Energética (Central de Incineração) onde “…dos resíduos se fez luz…”.
Localização: Grande Porto, Duração: 4 horas

Programa

 

Sessão de Abertura

João Matos Fernandes - Ministro do Ambiente
Paulo Ramísio - Presidente APESB
Roberval Tavares de Souza - Presidente da ABES
Susana Neto - Presidente da APRH

Tema Especial - O Papel da Engenharia Sanitária no Desenvolvimento Sustentável

José Saldanha Matos - APESB/IST
António Gonçalves Henriques - APRH
Carlos Rosito - ABES

Lucrécio Costa - Diretor Nacional Águas, Angola
Orlando Borges - ERSAR

Sessão Plenária - Água e Economia

Lígia Pinto - APESB/UMinho
João Nuno Mendes - Águas de Portugal
Poças Martins - FEUP/OE-N
Rui Ferreira Santos - UNL

Sessão Plenária - Gestão Sustentável de Resíduos

Fernando Leite - APESB/Lipor
na Albuquerque - ERSAR
Ana Sofia Vaz - Agência Portuguesa do Ambiente
João Pedro Rodrigues - Ecovisão

Sessão Plenária - Alterações Climáticas e Resiliência dos Sistemas

Paulo Ramísio - APESB/UMinho
Carlos Borrego - UAveiro
Filipe Araújo - CM Porto
Maria do Céu Almeida - LNEC